RMSF | TCR

Autor: Eluana Vieira da Silva Akamine

Título: Projeto de Intervenção: Educação permanente para os Agentes Comunitários de Saúde sobre causas evitáveis de óbitos infantis 2022.

AKAMINE, Eluana Vieira da Silva. Projeto de Intervenção: Educação permanente para os Agentes Comunitários de Saúde sobre causas evitáveis de óbitos infantis 2022. 18 Fls. Trabalho de Conclusão de Residência – Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família SESAU/FIOCRUZ. Campo Grande/MS, 2022.

A mortalidade infantil em Mato Grosso do Sul apresentou uma discreta estabilidade na tendência da curva no último triênio, conforme o Boletim Epidemiológico do Comitê Estadual de Prevenção da Mortalidade Materna e Infantil Mato Grosso do Sul, 2020, e esses fatores têm sido atribuídos principalmente ao acesso básico de saúde às gestantes como pré-natal, exames laboratoriais, imunização e acompanhamento pós-parto. No entanto, esses dados ainda indicam a necessidade de melhoria na qualidade da assistência ao pré-natal e parto. Durante esse período a faixa etária em que houve mais óbitos foi no componente neonatal precoce, ou seja, entre crianças com até seis dias de vida. Os cuidados que fazem parte da supervisão de rotina de saúde infantil até o primeiro ano de vida constituem um conjunto de orientações e cuidados que são de responsabilidade das Equipes da Saúde da Família. Esse projeto de intervenção realizou rodas de conversa como metodologia ativa de aprendizagem de educação permanente para os agentes comunitários de saúde numa Unidade de Saúde da Família sobre as causas evitáveis de óbitos infantis; agindo, dessa forma, nos vetores que devem levar informações as gestantes e puérperas, os agentes comunitários de saúde. Os resultados identificaram uma necessidade presente da realização de Educação Permanente de Saúde para atualização, assim como o desenvolvimento de materiais educativos para os agentes comunitários de saúde.

Palavras-chave: Prevenção 2. Roda de conversa 3. Mortalidade infantil.